19 de setembro de 2014

Literatura Infantil

Rogo mais uma vez a desculpa pela demora, acho mais fácil publicar mensalmente, kkkkkkkkk, daqui a pouco é trimestralmente e por ai vai.

Hoje o tema é importantíssimo ao meu ver, que é a Literatura Infantil, ainda estudo Pedagogia, não sou especialista no assunto, então o que colocarei aqui é o que penso sobre o assunto, sua importância, influência, etc.

Eu nunca tive acesso aos livros através dos meus pais na infância, isso eu já havia relatado antes. O primeiro livro infantil que tive contato já era na adolescência, e isso foi mais ou menos aos 10, talvez 12 anos, não me recordo ao certo. Tive a grata surpresa de saber que esse livro continua sendo publicado, é um clássico da Literatura Infantil e que eu recomendo, que pais, tios, sobrinhos, avós, todos comprem porque é muito divertido, além de desenhos bem coloridos e cheios de vida. Essa é a capa do livro ao qual estamos abordando:


A primeira capa foi como tive acesso à essa maravilhosa obra de Ruth Rocha, infelizmente não lia ou se lia não entendia, talvez ainda não tivesse soltado as amarras da minha imaginação, o que sinceramente só ocorreu quando li Harry Potter. A segunda capa, é a atual, como eu disse mais colorida, e porque não dizer moderna, afinal os livros hoje tem de se adequar às crianças dessa nova geração. Tive a grata satisfação de ganhar do meu namorado esse livro de presente. Li as duas primeiras histórias, principalmente porque queria ler a do Marcelo, que é o personagem da capa. Ri muito e me diverti, como creio que muitas crianças se divertem também. Ruth Rocha é uma escritora maravilhosa, e que com certeza crianças e adultos deveriam ler mais seus livros. E quando digo adultos não é somente ler para os filhos antes de dormir, é ler pelo prazer da leitura, dar o exemplo e principalmente rir das peripécias do Marcelo, que adora inventar nomes para as coisas e que nos traz de volta um pedaço da nossa infância. Hoje perdemos a inocência, mas não me refiro à inocência da criança, mas falo do amor ao próximo, da sabedoria, daquele sentimento de acreditar até mesmo naquilo que nos parece impossível ao primeiro olhar. Me refiro a esse tipo de inocência, que é tão rara, muitas vezes encontramos em pessoas idosas de coração nobre e bondoso, mas nos adultos que trabalham desesperadamente para gastar seu tempo desesperadamente sem se deixar perceber que o que importa realmente são as pequenas coisas da vida, o prazer de uma leitura infantil, juvenil, seja ela qual for. 
Realmente o mundo está mudando e as pessoas também. E essa geração é completamente diferente de quando nasci, elas já nascem ligadas à tecnologia, isso é ruim? Não vejo dessa forma, ler livros em tablets ou então em e-readers não é ruim, pelo contrário, é ótimo, nos faz aprender cada vez mais. Contudo uma coisa que percebi é que o papel, o toque, a percepção das cores, isso só um livro físico nos proporciona. Recentemente li uma reportagem em que dizia que a leitura é melhor interpretada em livros físicos, e que os e-readers são melhor aproveitados por quem tem problema de dislexia. 
A reportagem pode ser lida nesse link:

http://www.livrosepessoas.com/2014/09/16/estudos-comparam-compreensao-de-texto-de-quem-le-livros-eletronicos-e-de-papel/

Enfim, o que realmente percebemos é que a leitura é importante desde pequenos, e os livros infantis hoje estão cada vez melhores, com qualidade de papel, capa, histórias maravilhosas e envolventes e que ensinam muito às crianças. Incentivá-las é nossa obrigação como adultos, fazê-las amar ler, querer conhecer mais e mais é algo maravilhoso e que deve e muito ser incentivado. 

Em breve postarei sobre algum outro assunto que vier à mente. Sugestões são sempre bem-vindas, e agradeço por lerem esse post. Tenham todos um ótimo final de semana e que Deus abençoe a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário